Domingo, 13 de Janeiro de 2008

Reflectindo

Nota prévia: Se não és crente em Deus não avances na leitura desta reflexão de uma tarde, véspera do Domingo, dia especial para agradecer e/ou pedir o bem para a próxima semana.



O alicerce do Cristianismo assenta no «Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos».

Habitualmente, logo que uma criança nasce no seio de uma família unida por aquela Aliança, é logo baptizada para também ela ser a continuidade da mesma Sagrada Aliança.

É na Bíblia, o conjunto de livros sagrados, que assenta o traçado dessa caminhada que se resume, precisamente, no Dogma do primeiro parágrafo deste texto intencional.

Já se passaram mais de dois mil anos e todos verificamos que tal Dogma nunca sofreu revisão, rectificação, reprovação, nem deixou de vigorar porque é bom e veio por bem de todos, sem excepção.

Ao contrário, as leis dos homens tendem a ser revistas, rectificadas, reprovadas e, muitas vezes, deixam de vigorar a favor de novas leis mais apropriadas à sociedade. Os homens falham, Deus não. A prova disso é a antiguidade da Lei de Deus.

Se os homens seguissem a Bondade de Deus não teriam motivos para vacilar.

Mas, infelizmente, e precisamente por serem baptizados muito cedo sem terem o conhecimento exacto por si do Dogma de Deus, e se estão inseridos numa família que também já se desnorteou desse Amor, acabam por cair nas leis dos homens que foram criadas para organizar a sociedade civil.

Assaltos, roubos, mentira, traição, ataques terroristas, crimes diversos, violência doméstica, desavenças escolares entre alunos e professores, etc. enfim, tudo o que fira a integridade física e mental do ser humano vai contra o Dogma de Deus que só quer o Bem da Humanidade.

Com a evolução anual depara-se com um quadro assustador e o que antes era uma raridade, hoje é quase considerado normal. Antigamente, na ilha Terceira, que tomo como exemplo, não haviam tantos divórcios como hoje há, tantos crimes como hoje há.

Mas, tendo sempre presente o que Deus nos ensina, penso que, no caso do divórcio é um mal necessário porque se não vejamos:

1 - Um casal que passa os dias em desarmonia e violência doméstica não está a praticar a lei de Deus, nem vive de acordo com lei nenhuma;

2 - Se os filhos assistem a tais atitudes e se nada se fizer para alterar a situação, ficam com uma visão errada do que é o verdadeiro Amor, porque não há Amor à sua volta, nem respeito;

3 - "Não separe o Homem o que Deus uniu" tomado à letra e na minha opinião, tem uma visão externa ao casal. Deus não permite que alguém destrua um casal porque, se estiverem de acordo com a lei inicial, não vai ser alguém de fora que os vai desunir. No entanto, o próprio casal se se desunir está a cortar com a lei do Amor à qual prometeram ser fiéis.

4- Muitas vezes as circunstâncias da vida e a vivência em sociedade recheada de diversidade alteram o sonho e a pintura de um quadro harmonioso e acabam por fazer a opção melhor para todos - separar.

5 - Para que não fiquem desertos do Amor de Deus e para que os Templos não se esvaziem há que ponderar e aprofundar cada situação à luz da Lei de Deus e do evoluir da sociedade e da natureza.

6 - Após a boa compreensão e tolerância para cada caso reina de novo a harmonia, ideal do Bem e do Amor. O que acontece, porém, é que o Amor que Deus preconiza está cada vez mais longe do coração do homem e não há Paz.

A cada instante há uma voz que nos segreda: - Quando virá a Paz ao coração do Homem?!

Termino esta reflexão com a ideia de que NADA se pode impingir ao ser humano mas também não se pode ficar alheio à Bondade de Deus que se pode encontrar em TUDO à nossa volta porque «COM DEUS TUDO, SEM DEUS NADA». Foi esta a mensagem que me ficou guardada na mente dos meus tempos de mocidade.

Colabora comigo nesta reflexão e deixa a tua opinião que muito agradeço.

publicado por Terceirense às 12:24
link do post | comentar | favorito

Enquanto houver amor, ilha e arte blogarei por toda a parte...

Terceirense

No adro

Ai, o nosso Povo!

Natal 2012

Angra Festa Brava

Eu sou Ilha... Brava e Do...

Roteiro da Administração ...

Água quanta queira - Uma ...

Marque já a sua presença ...

Medidas Simples Salvam Vi...

De volta com a natureza d...

Para o dia 7 de Abril

No terreiro

Na varanda

açores(58)

açoriana(4)

açoriano oriental(1)

agradecimento(s)(10)

álamo oliveira(2)

américa(1)

angra do heroísmo(44)

aniversários(2)

assembleia legislativa(1)

azoriana(3)

barack hussein obama(1)

blogosfera(3)

blogues regionais(5)

califórnia(2)

ccd(1)

coelho de sousa(1)

comentários(14)

culinária(1)

curiosidades(18)

desporto(4)

dias comemorativos(17)

do autor(15)

doçaria regional(8)

droap(1)

estatísticas(8)

fagundes duarte(1)

familiares(2)

festa do sol(2)

funcionalidades(3)

hélio costa(1)

hospitais(1)

ilha(62)

joão rocha(1)

jornais(13)

jornais terceira(1)

josé hermano saraiva(1)

luís castro & bassim(1)

luís nunes(4)

mar(8)

monumentos(1)

mortalidade(2)

natal(2)

notícias(32)

poemas(2)

praia da vitória(3)

quadras(4)

regionalidades(34)

roteiro(1)

sanjoaninas 2008(16)

sanjoaninas 2009(2)

sanjoaninas 2011(1)

são carlos(1)

saúde(1)

sentimentos(30)

sidónio bettencourt(1)

sismos(1)

terceira(65)

terra(23)

usa(1)

vitorino nemésio(1)

todas as tags

No balcão

Última hora...

Ao Dr. Domingos Cunha - S...

Poema ao Presidente dos A...

Folclore, Marchas, Vozes,...

Uma carta da Azoriana

A imagem é o mote para li...

O sítio do trovador

Dia dos Açores

O doce do encanto do Divi...

Quadras de improviso

No coreto

Na praça pesquise

 

De passagem

Viva, antes de mais um grande obrigado pelo trabal...
Porque não comentar? Nem que seja para saudar o es...
exelente blog
Olhe, eu descobri o blog hoje e estou a gostar ime...
Gostaria de saber o que não posso perder na ilha t...
Olá gostei muito do seu blog com muitas poesia e c...
Hoje não é o meu dia...A ponte que hoje nos separa...
vamos ter uma rainha muito linda este ano....não h...
Já deixei as Boas Festas no outro lado, mas também...
Olánao sei se fica clara a intençao desta politica...
blogs SAPO

subscrever feeds